sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Direito ateu

A campanha publicitária abaixo foi proibida. Depois de contratos firmados com empresas de transporte público em quatro capitais, os respectivos responsáveis pelas empresas de ônibus e agentes públicos cancelaram a publicidade. Cancelaram depois que viram o conteúdo do material.
É pecado, digo, crime, manifestar sua crença? Que dizer dos símbolos religiosos exibidos nos órgãos públicos? E dos nomes - de ruas, bairros, cidades, estados - que se referem a valores religiosos? Tudo terá que ser mudado, ou só os ateus são caçados? Que dirá a imprensa, tão ávida pela irrestrita liberdade, sobre isso? Aguardemos para ver.Mais informações em www.atea.org.br.

5 comentários:

Eugénio disse...

Imaginação "divinal" essa publicidade...

Vivemos num mundo louco, cheio de irracionalidade...

Apesar da ciência avançar à velocidade da luz a opressão e manipulação do pensamento impera...

Procura no youtube, Richard Dawkins - God Delusion.

Há pessoas que temem a liberdade de pensar por elas

Viaggio Mondo - assessoria comunicação disse...

Olá, Daniel!

Seu blog é muito bom, adorei!

Quero aproveitar para te convidar a conhecer meu blog também e participar da Promoção 1001 Seguidores. Como prêmio você pode levar para casa uma das agendas 2011 recheadas de fotos dos mais de 40 países que visitei! Se quiser, traga também seus amigos e leitores! :D

Aguardo você! :)

Bjos!

Valter Borges disse...

O ateísmo surge com a secularização, onde a igreja deixa de ser referência numa sociedade moderna, compartilhando, agora, sua autoridade com outras instituições da sociedade, como a ciência, o Estado, a Mídia, etc.
Acontece que, essas instituições podem conviver pacificamente, e não há conflito entre "religião x ciência"; "teologia x filosofia". Mas, existem pontos de vista epistemológico diferenciado.
Na atualidade um grande número de pessoas estão se declarando sem religião, não que não crêem em algum "deus", mas sem vínculos religiosos institucionais.
Os ateus não precisam de auto-afirmação como parece ser essa campanha.
Eles fazem as escolhas que quiserem, mas essa campanha parece, claramente, ser motivada pela não-conformidade em aceitar aqueles que crêem, e disso não posso compartilhar.
Pois, cria-se que com o advento da ciência e o avanço da modernidade, a religiosidade estaria acabando. Mas, a realidade prova o contrário.
Quanto mais a modernidade avança, mais as pessoas se apegam a Deus, pois não há lugar para o homem no mundo capitalista das máquinas, dinheiro, lucro.
Aliás, os que crêem são tidos como povinho, pouca cultura, iletrados pelo que não crêem. O que caracteriza preconceito. E isso não é verdade, mas a Bíblia já afirmava acerca da loucura da sabedoria humana e a loucura de Deus. Veja:
"Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão sendo destruídos, porém para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. Porquanto está escrito: 'Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos homens cultos'. Onde está o sábio? Onde está o homem culto? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus completamente insensata a sabedoria deste mundo? Considerando que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, foi do agrado de Deus salvar os que crêem por intermédio da loucura da proclamação da sua mensagem. Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos procuram sabedoria; nós, entretanto, proclamamos a Cristo crucificado, que é motivo de escândalo para os judeus e loucura para os gentios. Todavia, para os que foram convocados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e sabedoria de Deus".

Essa foi uma pequena provocação para reflexão (ciência) ou meditação (religião).

Abraços!

Valter Borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nathan disse...

Pois é, enquanto é comum andar com camisas aonde está escrito "exército de Deus", "Jesus Cristo", entre outras, nunca vi alguém usar uma "Deus não existe".

Pois a pessoa sabe que se usasse, seria fortemente repreendida.

2 pesos, 2 medidas.