sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Coerência e Fantasia


Para terminar 2010 e, portanto, começar 2011, reproduzo abaixo um texto de Contardo Calligaris que vinha guardando há algum tempo. Não esperava uma data especial ou algo assim, apenas algo que soasse como oportunidade para publicá-lo aqui, no blog. Originalmente foi publicado na Folha de S. Paulo.
Pensei que seria oportuna reflexão para este momento, em que planejamos (sabe-se lá por que?!) o próximo ano.



CONTARDO CALLIGARIS

A coerência é um valor moral?
A coerência é o último refúgio de quem tem pouca fantasia e, talvez, de quem tem pouca coragem


NO FIM de semana retrasado, estive em Olinda, na Fliporto (Feira Literária Internacional de Pernambuco). No sábado, Benjamin Moser, que escreveu uma linda biografia de Clarice Lispector ("Clarice,", Cosac Naify), lembrou que, na famosa entrevista concedida à TV Cultura em 1977, a escritora afirmou que não fizera concessões, não que soubesse.
Moser acrescentou imediatamente que ele não poderia dizer o mesmo. E eis que o público se manifestou com um aplauso caloroso.
Talvez as palmas de admiração fossem pela suposta coerência adamantina de Clarice, que nunca teria feito concessões na vida. Talvez elas se destinassem a Benjamin Moser pela admissão sincera de que ele (como todos nós) não poderia dizer o mesmo que disse Clarice.
Tanto faz. Nos dois casos, o pressuposto é o mesmo. Que as palmas fossem pela força de caráter de Clarice ou pela honestidade de Moser ao reconhecer sua própria fraqueza, de qualquer forma, não fazer concessões parecia ser, para os presentes, uma marca de excelência moral.
A pergunta surgiu em mim na hora: será que é mesmo? Posso respeitar a tenacidade corajosa de quem se mantém fiel a suas convicções, mas no que ela difere da teima de quem se esconde atrás dessa fidelidade porque não sabe negociar com quem pensa diferente e com o emaranhado das circunstâncias que mudam? Aplicar princípios e nunca se afastar deles é uma prova de coragem? Ou é a covardice de quem evita se sujar com as nuances da vida concreta?
Como muitos outros, se não como todo mundo, cresci pensando que não fazer concessões é uma coisa boa.
Fui criado na ideia de que há valores não negociáveis e mais importantes do que a própria vida (dos outros e da gente). Talvez por isso me impressionasse a intransigência dos mártires cristãos (embora eu tivesse uma certa simpatia envergonhada por Pedro renegando Jesus para evitar ser reconhecido e preso).
Durante anos admirei os bolcheviques por eles serem homens de ferro (a expressão é de Maiakóvski, nada a ver com "Iron Man") e desprezei Karl Kautsky, que Lênin estigmatizou para sempre como "o renegado Kautsky", por ele ter mudado de opinião sobre a Primeira Guerra, sobre a revolução proletária, sobre o bolchevismo etc.
Vingança da história: Lênin se tornou quase ilegível, mas a obra principal de Kautsky, que acaba de ser traduzida, "A Origem do Cristianismo" (Civilização Brasileira), continua crucial.
Mas voltemos ao assunto. Hoje, estou mais para Kautsky do que para bolchevique; até porque descobri, desde então, que Mussolini se vangloriava gritando: "Eu me quebro, mas não me dobro". Ele se quebrou mesmo, enquanto eu me dobro e posso renegar ideias minhas que pareçam ser, de repente, inadequadas ao momento (dos outros, do mundo e meu).
Olhando para trás, descubro (com certo orgulho) que, ao longo da vida, fiz inúmeras concessões, inclusive na hora de escolhas fundamentais. Poucas vezes lamentei não ter sido coerente. Mas muitas vezes lamento não ter sabido fazer as concessões necessárias, por exemplo, na hora de ajustar meu desejo ao desejo de pessoas que amava e de quem, portanto, tive que me afastar.
Alguém dirá: espere aí, então a fidelidade a princípios e valores não é uma condição da moralidade?
Estou lendo (vorazmente) "O Ponto de Vista do Outro", de Jurandir Freire Costa (Garamond). O livro é, no mínimo, uma demonstração de que a forma moderna da moral não é o princípio, mas o dilema. E, no dilema, o que importa não é a fidelidade intransigente a valores estabelecidos; no dilema, o que importa é, ao contrário, nossa capacidade de transigir com as situações concretas e com os outros concretos.
A coerência é uma virtude só para quem se orienta por princípios. Para o indivíduo moral, que se orienta (e desorienta) por dilemas, a coerência não é uma virtude, ao contrário, é uma fuga (um tanto covarde) da complexidade concreta. Oscar Wilde, que é um grande fustigador de nossas falsas certezas morais, disse que "a coerência é o último refúgio de quem tem pouca fantasia" e, eu acrescentaria, de quem tem pouca coragem.
Resta absolver Clarice. Aquela frase da entrevista era, provavelmente, apenas uma reverência retórica a um lugar-comum de nosso moralismo trivial.

(Publicado na Folha de S. Paulo, em 25/11/2010)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Adeus a Lipman

Faleceu o professor e filósofo Matthew Lipman, criador do programa de filosofia para crianças nos EUA. Seu modelo de ensinar filosofia, ousado, repercutiu e repercute em vários cantos do mundo. No Brasil, de forma especial. Foi amplo o movimento de difusão de sua obra, em especial de seu programa de ensino. O que ocasionou, também, a produção de eficientes críticas, reelaborações, de suas teorias e métodos, num processo de construção teórica dialética explícito, tal como não se vê com facilidade no presente filosófico.
Penso que no Brasil, a maior expressão desta apropriação, crítica e reelaboração filosófica do processo de ensino com crianças - com, não para crianças, o que já reflete uma crítica - está registrada nas produções do GT Filosofar e Ensinar a Filosofar, da ANPOF (veja aqui)
Há alguns anos, participei de um grupo que também discutia o tema, o NEFiC. Certamente menos denso e mais informal, os registros das atividades (desatualizados, é verdade), podem ser acessados aqui.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Deus é pai

Uma brincadeira de natal, nesta época em que são tantas as belas mensagens uníssonas que circulam pelos e-mails:



Para assistir este mesmo vídeo no site Porta Curtas, clique aqui.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Moda que passa

As modas passam. Roupas, estilos, cores, formatos, tendências... coisas que mudam a cada estação (ou, às vezes, em bem menos tempo). A arte também vem sendo dominada por modismos, como já denunciavam Adorno e Horkheimer: a semicultura produzida pela indústria cultural espalha-se em lugar da cultura efetiva, factualmente culta. Gera o emburrecimento, no geral.
Os artistas da moda não permitem uma imersão em suas obras. No geral, porque elas não têm profundidade (ou, como diz um amigo, têm a profundidade de um pires). Por isso não se enraizam na história: passam; acabam; simplesmente vão sem nada deixar. Eu posso citar uma ou duas dúzias destes artistas que passaram como feitores de modismos nos últimos anos. Na verdade, não posso... porque não me lembro deles. Provavelmente você também não.
Há alguns dias, circulou na internet o vídeo abaixo. Um dinossauro é perguntado sobre o que acha de um artista da moda. Sua resposta, um espanto, pode ser motivo da nossa reflexão.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Perspectivas Críticas - Informativo

Reproduzo abaixo o Informativo do Grupo de Pesquisas Perspectivas Críticas da Filosofia Moderna e Contemporânea. Contém um brevíssimo sumário das atividades realizadas neste semestre e uma indicação de parte da programação para os primeiros meses de 2011.
Clique na imagem para ampliar.
Outras informações sobre o Grupo Perspectivas Críticaspodem ser acessadas a partir do meu site.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Direito ateu

A campanha publicitária abaixo foi proibida. Depois de contratos firmados com empresas de transporte público em quatro capitais, os respectivos responsáveis pelas empresas de ônibus e agentes públicos cancelaram a publicidade. Cancelaram depois que viram o conteúdo do material.
É pecado, digo, crime, manifestar sua crença? Que dizer dos símbolos religiosos exibidos nos órgãos públicos? E dos nomes - de ruas, bairros, cidades, estados - que se referem a valores religiosos? Tudo terá que ser mudado, ou só os ateus são caçados? Que dirá a imprensa, tão ávida pela irrestrita liberdade, sobre isso? Aguardemos para ver.Mais informações em www.atea.org.br.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Mestrado na UFABC

Estão abertas as inscrições para o Mestrado em "Ensino, História e Filosofia da Ciência e Matemática", da UFABC. As informações completas estão disponíveis no site do programa (clique)

domingo, 5 de dezembro de 2010

Demasiado humano

Um trecho de Nietzsche:
"Enquanto o indivíduo, num estado natural das coisas, quer preservar-se contra outros indivíduos, ele geralmente se vale do intelecto apenas para a dissimulação: mas, porque o homem quer, ao mesmo tempo, existir socialmente e em rebanho, por necessidade e tédio, ele necessita de um acordo de paz e empenha-se então para que a mais cruel bellum omninum contra omnes ao menos desapareça de seu mundo".
Uma tirinha de Fábio Moon e Gabriel Bá:

A tirinha foi originalmente publicada na Folha de S. Paulo de ontem.
O texto é extraído de Sobre verdade e mentira no sentido extra-moral, livro que tem uma edição parcialmente disponível aqui.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Coral OSESP na UFABC

Abaixo está o convite para a apresentação que o Coral da OSESP fará na UFABC, em 14 de dezembro.
A organização é da Pró-Reitoria de Extensão da UFABC - site aqui.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

We can II

Sobre o mesmo assunto da postagem logo abaixo - os documentos sigilosos do governo estadunidense, publicados pela Wikileaks, que revelam a espionagem de líderes da ONU e de líderes de nações pelo governo daquele país.
A Folha de S. Paulo publicou uma compilação com 6 telegramas enviados pela embaixada dos EUA no Brasil, a respeito do governo brasileiro. Revelam que o Tio Sam no considera como "adversários". Acesse aqui a íntegra dos telegramas, em inglês.
A constatação imediata é o desrespeito à soberania das nações. As embaixadas estadunidenses, acolhidas pelos diversos países, aproveitavam sua estada no estrangeiro para enviar a Washington informações contra as próprias nações. Para os EUA, é preciso muito menos que isso para se começar uma guerra...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

'We can'

Nos últimos dias o Wikileaks (www.wikileaks.org) divulgou mais uma leva de documentos "secretos" do governo estadunidense, revelando novos desrespeitos às boas relações internacionais. Anteriormente este site já havia revelado diversos relatórios e outras formas de registro referentes às guerras do Afeganistão e do Iraque, comprovando - por relatos dos próprios militares aos seus superiores - a prática de torturas, assassinato de civis e outros crimes de guerra.
Apesar de chocada, a comunidade internacional parece procurar fingir que nada mudou.
Agora a coisa pode ser diferente: a leva de documentos publicadas nos últimos dias revela ordens do sistema de segurança dos EUA para que suas embaixadas espionassem autoridades de diversos países com os quais o Tio Sam mantém relações diplomáticas. Há registro - pasmem - até de coleta de DNA e leitura da íris dos candidatos a presidência nas últimas eleições paraguaias. Coisa de filme futurista, sensacionalista. Não fossem os registros publicados pelo site compostos dos próprios documentos oficiais scaneados. Nem o governo americano contesta sua originalidade.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Terrorismo midiático

Há alguns meses ministrei uma palestra sobre a Atualidade dos Aparelhos Ideológicos de Estado, como parte de um dos módulos do Curso Livre de Humanidades, organizado pela Profa. Suze Piza na Universidade Metodista de S. Paulo. No final, uma participante veio perguntar minha opinião sobre o controle ou não da mídia. Respondi que nenhum tipo de censura seria adequado, mas ainda assim era [e é] necessário uma forma de controle. Tal como os advogados têm na própria OAB seu mecanismo de autocontrole, ou os médicos o têm nos CRMs, a imprensa deve se autorregular, para evitar que outros queiram fazê-lo. É, portanto, a omissão da imprensa na iniciativa de autorregulação que gera brechas para iniciativas de controle externo. Há mesmo necessidade deste controle? Veja:
Sou leitor regular de jornais on line, dentre os quais a Folha de S. Paulo, que mantém uma versão digital atualizada em www.uol.com.br/folha. Eu nunca havia visto, no jornal, uma matéria "de capa" em inglês. Vi hoje (circulada, por mim, em vermelho - clique para ampliar):
Às vésperas de realização quase simultânea dos Jogos Olímpicos e de uma Copa do Mundo de futebol no Brasil - coisa, reconheça-se, que não ocorreu "nunca antes na história deste país", e talvez em nenhum outro canto do mundo - qual o interesse em um periódico paulista divulgar, em inglês, os conflitos armados que vêm ocorrendo em outro estado brasileiro? Não se trata, naturalmente, de mera difusão da informação. Nem de tentativa de expandir-se como veículo internacional - se o fosse, o jornal poderia ser inteiramente traduzido para outros idiomas.
Essa ação não é informativa em sua essência, mas política. E chama, infelizmente, por regulações - indesejadas - igualmente políticas da imprensa. Torçamos para que os profissionais da área percebam que não podem prorrogar eternamente a irrestrita impunidade em nome de um dogma antiditatorial. Que proponham, por si e para si, mecanismos de avaliação e controle dos abusos. Para que os controles não sejam externos e, portanto, também abusivos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Caminhos da filosofia na sala de aulas

No próximo sábado acontecerá, sob coordenação do Prof. Dr. Marcos Lorieri, o VI Encontro de Escolas e Educadores: Caminhos da Filosofia na Sala de Aulas, que terá por tema "Educação, Formação e Filosofia". Em destaque, as palestras dos professores doutores Antônio Joaquim Severino e Patrícia Del Nero Velasco. Mais informações no cartaz abaixo (clique para ampliar):


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Marcos Lorieri: textos

Ontem ocorreu a segunda e última noite de atividades do I Colóquio de Professores de Filosofia da UFABC, desta vez com a presença do Prof. Dr. Marcos Antonio Lorieri.
Bem humorado e agradável como sempre, a exposição-diálogo de Lorieri pautou-se em importantes obras relativas ao ensino de filosofia, destacadamente O ensino de filosofia como problema filosófico de Alejandro Cerletti (Ed. Autêntica, 2009), e o Convite à filosofia, da Marilena Chauí (Ática, 14 ed., 2010). Instigou os presentes a fomentarem um diálogo, sempre filosófico, que transpassou por temas da filosofia e das atualidades.
Abaixo estão os links para dois dos muitos textos produzidos pelo prof. Lorieri:

Texto: Aprender a investigar na educação básica - clique aqui.

Texto: O lugar da Filosofia na experiência educativa - clique aqui.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Registro de Visitas

Nesta semana o blog alcançou a marca de 25000 visitas desde o início da contagem. Agradeço a atenção dos leitores regulares ou eventuais. Como sempre, sugestões e comentários são desejados.

Franklin Leopoldo: textos

Ontem ocorreu a primeira noite do I Colóquio de Professores de Filosofia da UFABC, com a presença do Prof. Dr. Franklin Leopoldo e Silva, que nos falou sobre Filosofia e Ensino a partir da conjugação (original, diga-se) de ideias diversas de pensadores como Adorno e Bourdieu.
Especialmente interessante foi a proposição de "compor" com os dois autores uma teoria da educação, visto que ambos parecem ter posições opostas quanto às possibilidades transformadoras do processo educativo (enquanto Adorno defende a educação como Formação, no sentido forte e amplo do termo, Bourdieu parece caminhar mais próximo de um Althusser ou um Foucault, compreendendo a educação como instrumento de dominação, não de transformação). Franklin, que parece caminhar mais próximo de Adorno, vale-se de diversos instrumentos relevantes, oferecidos por Bourdieur, para pensar a educação como Formação.
O público presente pareceu bem interessado. Ao todo, entre a exposição e o diálogo - intenso - com os presentes, foram 2h30 de atividades.
Para quem não esteve lá (e para quem esteve, também), indico links para dois textos do prof. Franklin sobre a relação filosofia-educação:

Texto: Reflexão sobre o conceito e a função da universidade pública - clique aqui.

Texto: Por que filosofia no segundo grau? - clique aqui.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Especial: Congresso Nacional

O humor costuma ter a peculiar capacidade de levar à reflexão diferenciada, desprovida das amarras próprias aos discursos mais lógicos, racionais, sérios. Abaixo vai uma breve seleção de charges, irônicas (ou sarcásticas?) para ajudar a pensarmos nossa política:




sábado, 13 de novembro de 2010

Professores de Filosofia na UFABC

Re-publico o cartaz de divulgação do I Colóquio de Professores de Filosofia da UFABC, que ocorrerá na próxima semana, no Campus S. Bernardo. Apesar do grande número de inscritos, ainda há algumas vagas.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Site em teste

Criei um site pessoal, que está em fase de testes. O principal objetivo é disponibilizar de forma mais organizada alguns dos textos que tenho escrito nos últimos anos.
Aos interessados, o link é https://sites.google.com/site/pansarelli/
Tudo ainda é provisório, inclusive a decisão por manter ou não este espaço ativo. Sugestões e comentários são muitíssimo bem-vindos.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

O lugar escrito

O lugar escrito é um site-blog mantido sob coordenação da Dalila Teles Veras (Livraria Alpharrabio) com o intuito de difundir no espaço virtual o Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC, que ocorre mensalmente de forma presencial, na livraria. Trata-se de um dos mais sérios esforços de difusão cultural na região.
Além de divulgar o Fórum no blog, esta postagem é também uma forma de reconhecimento do grande valor da Alpharrabio.
Visite o blog O lugar escrito
Visite a Livraria Alpharrabio

FÓRUM PERMANENTE DE DEBATES CULTURAIS DO GRANDE ABC

O Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC foi criado em 2007 com o objetivo de estabelecer um processo participativo e crítico das políticas públicas da cultura e da ação cultural integrada na região do ABC. Trata-se de um grupo independente, sem constituição jurídica, que vem discutindo, entre muitas questões, estratégias de atuação regional, incluindo a organização da comunidade cultural, o estabelecimento de canais de comunicação, e o reconhecimento da cultura como centralidade e valor inalienável da formação humana.

O Fórum tem reuniões mensais e participantes de nossas sete cidades, dentro os quais, produtores culturais, professores, artistas, ex-secretários de cultura, agentes culturais, estudantes e interessados de varias áreas.

HISTÓRICO

Estimulado pelas discussões da comunidade cultural durante o Congresso de História do Grande ABC, realizado em São Bernardo do Campo, em abril de 2007, posteriormente durante as discussões da Jornada ABCDMaior, realizada também em São Bernardo do Campo, bem como em diversos momentos anteriores na Livraria Alpharrabio, em Santo André, um grupo de pessoas de toda a região do Grande ABC, interessadas em criar um processo participativo e crítico das políticas públicas da cultura e da ação cultural na região do Grande ABC, bem como integrar ações regionais instituiu em novembro de 2007, o Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC, sem constituição jurídica.
Desde então, o Fórum mantém ininterruptamente reuniões mensais nas dependências da Livraria Alpharrabio. Ao mesmo tempo em que discute esse processo recolhe demandas dos produtores culturais e interessados, o grupo também elabora projetos de auto-capacitação, para uma efetiva reorganização da própria comunidade cultural, convidando pessoas de notório saber e experiência na área para encontros no Fórum, que trazem informações e indicam bibliografia sobre mecanismos de financiamento à cultura, municipais, estaduais e federais, formas institucionais de participação a serem estabelecidos diretamente com as administrações públicas, enfim, toda informação possível no sentido de preparar essa desejada capacitação. Ouvir dos gestores públicos suas idéias e planos para sua gestão, estabelecendo um diálogo de idéias entre o grupo foi outra decisão do grupo.
Outras preocupações estão no estabelecimento de canais de comunicação e de cobranças, no sentido de fazer valer os seus saberes e tradições, incluindo o reconhecimento da cultura no processo educativo, como um valor inalienável da formação humana. Trata-se da construção de um processo que deve juntar a atual reflexão ao acúmulo de massa crítica pré-existente e que possa dar respostas e representar simbolicamente toda a riqueza de nossa expressão de verdadeiros criadores culturais e políticos.


A partir da reivindicação do Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC foi criado, em abril de 2008, O Núcleo Estratégico Cultura (NE) no Consórcio Intermunicipal ABC.
Aquela primeira reunião do GT Cultura, passou a ser histórica, uma vez que:

1) reuniu pela primeira vez, no quarto ano das respectivas gestões municipais, 6 das 7 Secretarias e/ou diretorias de cultura, que, diga-se, não se conheciam pessoalmente e jamais haviam antes esboçado quaisquer discussão sobre problemas comuns na área da cultura e aconteceu por força de uma iniciativa da comunidade.

2) Nessa reunião, foi eleito um coordenador para o GT, Dalila Teles Veras, escritora, dirigente do espaço Cultural Alpharrabio desde 1992, também coordenadora do Fórum, e um relator, Simone Zárate, então Secretária de Cultura de Santo André. Pela primeira vez, na história do Consórcio, um GT contou com um representante da sociedade civil na sua coordenação. Isso se deu não por força de lei, mas por um princípio de reconhecimento, legitimidade e conveniência.

3) Constituído oficialmente, o GT de Cultura, reunindo as 7 secretarias de cultura e representantes da comunidade, indicados pelo Fórum, passou a se reunir mensalmente nas dependências do Consórcio, e encaminhou diversos projetos resultantes de demandas levantadas no Fórum Permanente de Debates Culturais.

O Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC, através de seus representantes junto ao GT Cultura no Consórcio Intermunicipal, encaminhou diversos projetos, dentre eles:

a) Projeto de Censo Cultural Regional (em andamento), cuja proposta inovadora, de que o censo se desdobre em ações e contínuo aperfeiçoamento das informações e referências;
b) Mapa de Equipamentos e Ações Públicas de Cultura no ABC, cujos questionários foram remetidos às Secretaria sde Cultura das 7 Cidades e devolvidos devidamente preenchidos;
c) Sugestão para um programa de circulação regional de produtos culturais.

(Dalila Teles Veras)

domingo, 7 de novembro de 2010

Sobre o ENEM

A charge abaixo, do Jarbas, foi publicada no Diário de Pernambuco.
Triste realidade...
(Trocadilho com a canção do Metallica, Sad but True (?))

sábado, 6 de novembro de 2010

Educação como mercadoria

É triste quando as notícias sobre instituições de ensino superior brasileiras são lidas nos cadernos de Economia dos jornais.
O UOL noticiou recentemente que a Anhanguera, "con(a)glomerado" educacional, registrou no último trimestre lucro superior a 32 milhões de reais. Registre-se: LUCRO. Superior a R$ 10 milhões por mês. Chocante.
Há alguns anos defendia-se que era preciso democratizar o ensino superior no Brasil. A falácia ocorrida desde então convenceu a alguns, que acham que estamos democratizando. Não estamos.
Se o acesso é mais fácil, trata-se de acesso a sabe-se-lá-o-que. Não é ensino. Menos ainda, superior.
A notícia referida está disponível aqui.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Três lançamentos

Recentemente foram lançados três livros de colegas por quem tenho grande apreço. Recomendo-os.

Educando para a argumentação: contribuições do ensino da lógica, de Patrícia Del Nero Velasco, publicado pela Editora Autêntica (clique aqui).

Marxismo e libertação: estudos sobre Ernst Bloch e Enrique Dussel, de Antonio Rufino Vieira, publicado pela Editora Nova Harmonia (clique aqui).

Ética intercultural: (re)leituras do pensamento latino-americano, de Ricardo Salas Astrain, publicado pela Editora Nova Harmonia (clique aqui)







quinta-feira, 4 de novembro de 2010

sábado, 30 de outubro de 2010

Declaração de voto (II)

Às vésperas do segundo turno das eleições para presidente - e governadores em alguns estados - uma nova reflexão sobre o meu voto.
Mesmo sem expectativas de grandes transformações, entendo que a Dilma é a melhor opção. Ainda que ambos os partidos concorrentes estejam no mesmo campo político, do centro-direita à direita, a competência petista parece ter superado a tucana, ainda que a cartilha tenha sido, primeiro, rezada por FHC & Cia. As melhoras sociais, apesar de baseadas em assistencialismos e eleitoralismos, foram significativamente mais marcantes no governo Lula.
Além disso, assumo os motivos expressos na nota política do Partido Comunista Brasileiro sobre o tema. Reproduzo abaixo um trecho:

As candidaturas de Serra e de Dilma, embora restritas ao campo da ordem burguesa, diferem quanto aos meios e formas de implantação de seus projetos, assim como se inserem de maneira diferente no sistema de dominação imperialista. Isto leva a um maior ou menor espaço de autonomia e um maior ou menor campo de ação e manobra para lidar com experiências de mudanças em curso na América Latina e outros temas mundiais. Ou seja, os dois projetos divergem na forma de inserir o capitalismo brasileiro no cenário mundial.

Da mesma forma, as estratégias de neutralização dos movimentos populares e sindicais, que interessa aos dois projetos em disputa, diferem quanto à ênfase na cooptação política e financeira ou na repressão e criminalização.

Outra diferença é a questão da privatização. Embora o governo Lula não tenha adotado qualquer medida para reestatizar as empresas privatizadas no governo FHC, tenha implantado as parcerias público-privadas e mantido os leilões do nosso petróleo, um governo demotucano fará de tudo para privatizar a Petrobrás e entregar o pré-sal para as multinacionais.


O texto integral está disponível aqui.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sobre as licenciaturas

Reproduzo abaixo nota do prof. dr. Gustavo Dalpian, vice-reitor da UFABC, sobre a carência de licenciados no mercado de trabalho e sobre a "sobra" de incentivos (bolsas...) para interessados na área.
O texto foi originalmente publicado na edição no. 67 do boletim "Comunicare", da UFABC:

Em busca de licenciados
O Brasil enfrenta hoje um sério problema no ensino fundamental e no ensino médio. Faltam professores de quase todas as disciplinas, e grande parte dos alunos não recebe uma formação adequada. Vimos, nos últimos anos, uma melhora sem precedentes no ensino superior, mas os níveis mais fundamentais ainda precisam ser melhor trabalhados.
A solução para essa questão depende de ações governamentais e trabalhistas para valorizar a carreira do magistério. Além disso, a Academia também deve discutir
esse tema e buscar propostas alternativas para a área. A UFABC possui cinco cursos de licenciatura e, portanto, pode ajudar formando professores bem preparados para o mercado.
Ocorre, entretanto, que a busca pelos cursos de licenciatura da UFABC ainda é muito limitada. Possuímos projetos de incentivo a alunos de licenciatura, mas enfrentamos dificuldades em preencher as vagas para as bolsas disponíveis.
O modelo pedagógico da UFABC pode ajudar a resolver esse impasse. Permitimos que nossos alunos se formem em mais de um curso, validando disciplinas já cursadas. Isso potencializa, portanto, um aumento do número de interessados nas licenciaturas.
O incentivo a esse tipo de ação, junto a outras ações propostas pela nossa comunidade, certamente ajudará a melhorar a qualidade do ensino no país.

Gustavo Martini Dalpian
Vice-reitor da UFABC

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Evento gratuito na UFABC

Segue abaixo o cartaz de divulgação do I Colóquio de professores de filosofia da UFABC, a ocorrer nos dias 17 e 18 de novembro. Contará com duas presenças extremamente honrosas: dos professores Dr. Franklin Leopoldo e Silva, da USP; e Dr. Marcos Antonio Lorieri, da Univ. Nove de Julho. O evento será gratuito e conferirá certificado aos participantes.
Clique no cartaz para ampliá-lo.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Abordo ou Pedofilia?



Para alguns assuntos, não tenho "estômago". Não vou discorrer longamente sobre todos os males que o conservadorismo católico impôs ao Brasil e à América Latina - ou ao mundo - nos últimos séculos. Talvez eu faça isso em algum momento, não agora.
Mas hipocrisia tem limite. A igreja católica que abafa, inclusive com acordos milionários, os casos de pedofilia protagonizados por seus nomeados "representantes de deus", tenta usar argumentos de uma moralidade ultrapassada - o combate ao direito de aborto - para favorecer um dos candidatos a presidente do país. Há limites para a aceitação da ingerência da igreja nos assuntos do estado. Digam à CNBB que a Idade Média terminou, queiram eles ou não. E peçam que punam, pública e exemplarmente, os padres estupradores de crianças. Para que depois sejam também julgados pelo Estado.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Entrevista do Geraldo Vandré

Há alguns dias o compositor Geraldo Vandré concedeu uma entrevista à Globo News, depois de décadas afastado das emissoras de televisão.
Como sugere o "padrão Globo" de fazer as coisas, a entrevista é superficial, o entrevistador parece mais preocupado em confirmar suas hipóteses do que em ouvir e aprofundar as respostas do Vandré. Ainda assi, é um registro importante.
Neste link, uma análise do jornalista e escritor Duarte Pereira sobre a entrevista, publicada na Revista Espaço Acadêmico. Ajuda a suprir a falta de densidade do vídeo. O programa televisivo, inclusive a entrevista, está disponível abaixo:

domingo, 10 de outubro de 2010

Professor apaixonado

Nesta semana ocorreu o XIV Encontro Nacional da ANPOF. O evento é especialmente interessante: há oportunidade de encontrar filósofos e professores/pesquisadores de filosofia de diversas áreas e de diversos locais. Oportunidade de rever velhos e bons amigos, além de fazer novos.
Um dos amigos que fiz foi o prof. Vidal, do Espírito Santo, pesquisador de Tobias Barreto, Rubem Alves e outros pensadores brasileiros. Justamente ao conversarmos sobre Rubem Alves, lembrei-me desta postagem abaixo reproduzida, que fiz há bastante tempo e em outro contexto num blog que já não é mais ativo. Reproduzo-a, reiterando o brinde aos apaixonados:


Há algumas semanas, preparando aulas, eu estudava a Ética a Nicômaco de Aristóteles. No livro, dentre tantas (tantas mesmo) outras coisas, o autor tenta apontar o que faz com que um ser humano seja um humano melhor. Sua reflexão é mais ou menos assim: considere que todas as pessoas que tiverem em mãos um instrumento musical poderão "tocá-lo", quer dizer, tirar dele algum tipo de som. Neste sentido, todos somos "músicos". Mas o que difere um músico de um bom músico? - ele pergunta. E responde: a habilidade com que toca músicas. Então, o autor aplica o mesmo raciocínio lógico ao ser humano: o que difere um ser humano de um bom ser humano? E, para responder, ele tem que estabelecer qual a característica essencial, fundamental do ser humano. Para ele, esta característica é a razão. Por conseqüência, o que difere um ser humano de um bom ser humano é a habilidade com que ele lida com sua razão. Quanto mais desenvolvido o intelecto, a razão, melhor será o humano. (Humilde, Aristóteles não diz nessa parte do texto que o filósofo é aquele que melhor lida com a razão, sendo, portanto, o melhor dos humanos).
Desde que li essa passagem pela última vez, venho brincando com o procedimento metodológico do Ari(stóteles). É uma pergunta divertida: "O que faz com que "x" seja um bom "x"?, podendo ser "x" o que você quiser.
A brincadeira se tornou especialmente interessante para mim quando perguntei: o que faz de um professor um bom professor? Joguei com a pergunta por algumas semanas, conversando com amigos professores, com alunos - não fazendo a pergunta para eles, claro, mas tentando nos papos diversos "pescar" elementos para essa resposta. E tenho clara impressão que a resposta é "o fato de ser ele um professor apaixonado".
Aristotelicamente falando, todos temos em potencial um bom intelecto. Todos podemos exercitar a razão, fazendo-a mais densa, mais presente, mais sólida. Assim como todos podemos exercitar o físico, ou nossa habilidade vocal, ou tantas outras coisas. Mas só o fazemos quando estamos apaixonados por isso, quando alguma paixão nos tira da inércia e nos põe em movimento. Só o professor apaixonado coloca sua razão e suas demais habilidades a serviço do aprender e do ensinar.
O brilho nos olhos de quem defende uma idéia com paixão, a tristeza de quem se vê obrigado a abandonar um projeto pelo qual é apaixonado, isso faz a diferença e possibilita o resto - tal como a paixão é o que coloca em movimento dois amantes, que deixam de lado o amor platônico em busca do exercício de amar, é ela, a paixão, que impede a acomodação dos bons professores, aqueles que sofrem por não poderem realizar mais, se preparar melhor, ensinar de forma mais completa.
As discussões acaloradas, as idéias apaixonadamente defendidas, o coração e o fígado empenhados num debate ou na defesa de uma tese. Aí está presente à paixão. Por isso tudo acredito que o primeiro passo que faz de um professor um bom professor é o fato de ser um professor apaixonado.
Um brinde à paixão!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Semana de Filosofia da UNIMEP

Segue abaixo cartaz de divulgação e folder com o programa da Semana de Estudos do Curso de Filosofia da UNIMEP (Piracicaba).
Uma coisa importantíssima a observar: a realização é do Centro Acadêmico. A participação institucional se dá como apoio. Fica o registro de saudação aos estudantes pela organização e iniciativa.
(Clique nas imagens abaixo para ampliá-las)


domingo, 3 de outubro de 2010

Cobaias humanas nos EUA

Transcrevo abaixo trechos da reportagem intitulada "EUA infectaram cidadãos da Guatemala com sífilis e gonorreia para estudo. Hillary pede desculpas.", publicada pelo Opera Mundi:

"Médicos pesquisadores do governo dos Estados Unidos infectaram intencionalmente nos anos 1940 um grupo de 696 cidadãos da Guatemala com gonorreia e sífilis para a realização de estudo sobre a eficácia de medicamentos."

"Como parte do estudo realizado na Guatemala, infectados guatemaltecos foram encorajados a transmitir a doença para outras pessoas, entre eles deficientes mentais. O objetivo era vereficar se o antibiótico penicilina era capaz de previnir a sífilis e a gonorreia."

"Estima-se que um terço dos infectados nunca teve tratamento adequado."

"O episódio é semelhante ao experimento Estudo da Sífilis Não-Tratada de Tuskegee – feito pelo governo dos EUA em Tuskegee, Alabama, entre 1932 e 1972, no qual 399 sifilíticos afro-americanos pobres e analfabetos, e mais 201 indivíduos saudáveis para comparação, foram usados como cobaias na observação da progressão natural da sífilis sem medicamentos."

Impossível impedir que o procedimento lembre os meios nazistas de pesquisa médica. A reportagem completa está disponível aqui.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Declaração de (anti-) voto

Nesta época muitas pessoas me perguntam em quem vou votar ou mesmo pedem indicações de candidatos. Meu entendimento é que, nesta eleição, interessa mais quem NÃO vai ganhar. Explico:
A leitura que faço sobre a política brasileira é que nossa sociedade está passando por um lento e gradual processo de amadurecimento. Collor, que já foi eleito Presidente da República, hoje tem que se contentar com a possibilidade de ser governador de Alagoas. Temos um "Tiri-rica" candidato a deputado, mas não há mais espaço para um Enéias, que já obteve três milhões de votos para presidente. Quero dizer: as coisas não estão bem, mas aos poucos, vão se tornando menos piores.
No próximo final de semana, muita gente ruim vai se eleger. Mas uns tantos, que são políticos corrompidos e ocupam cargos mandatários há décadas, ouvirão um "basta" dos eleitores. Alguns já têm a derrota como certa. Exemplos são a governadora Yeda, do PSDB-RS e os senadores Heráclito Fortes (DEM-PI), Marco Maciel (DEM-PE), Rita Camata (PSDB-ES), Cesar Maia (DEM-RJ). Outros, ainda, correm o sério risco de não se reelegerem: Artur Virgílio (PSDB-AM), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Mão Santa (PSC-PI). Espero que o povo destes estados faça ao Brasil o favor de não dar novos mandatos a estes que são políticos da pior espécie.
Em São Paulo, tenho esperança de ajudar a barrar a reeleição de dois políticos em particular. O Tuma, atual senador, candidato gravemente enfermo, não deve se eleger novamente. Chefe da polícia na ditadura militar, nunca fez por merecer os mandatos que lhe foram concedidos. O outro que espero não-eleger é o Alckmim. É preciso acabar com a dinastia tucana que impera em SP desde o início da década de 1980. A questão é simples: cada partido dá mais atenção a um setor da sociedade. Há 30 anos o PSDB (antes, seus políticos filiados ao PMDB) governam São Paulo. Por isso o sistema educacional é falho. Por isso não há programas sociais eficientes. É preciso mudar.
Meus votos, portanto, não vão para os políticos que se elegerão - muitos dos meus candidatos não chegarão lá. Mas serão pensados, cada um, no sentido de ajudar a impedir candidaturas indesejáveis.
Para deputados, estadual e federal, votarei na sigla do Partido Comunista Brasileiro - PCB - 21. Espero, assim, que os políticos eleitos percebam que há uma parcela da população que espera políticas públicas mais voltadas ao proletariado, mais à esquerda.
Também para senadores, votarei nos camaradas do PCB, Mazzeo - 211, e Ernesto - 212. Se houvesse chances do Tuma ou do Aloysio se elegerem, eu me sujeitaria a votar na Marta e no Netinho, seria um anti-voto mais eficiente. Mas, para meu alívio, isso não será necessário.
Para governador, entendo que será útil o voto em qualquer candidato que não o Alckimim. Não espero um governo maravilhoso do Mercadante, mas seria melhor que o Alckimim. No segundo turno, votarei nele. Agora, o mais importante é que o tucano não consiga eleger-se no primeiro turno, e para isso, basta votar em qualquer outro candidato. Eu votarei no meu amigo Igor Grabois, 21.
Por fim, para presidente, entre Dilma e Serra, sou Dilma. Basta olhar os governos FHC e Lula para constatar a maior eficiência do atual presidente. Mas entre uma Dilma "de centro-direita" e uma Dilma "mais à esquerda", eu fico com esta última. Por isso, votarei em um candidato da esquerda. Escolho o Ivan Pinheiro, 21.
Os meus votos serão todos no PCB e não por acaso. É um partido sério, capaz de expulsar filiados que se corrompem, mesmo que sejam membros dos governos. E, naturalmente, é um partido que sofre por essa sua postura exemplar em meio a um cenário político corrompido. É, enfim, um partido que merece minha confiança.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Democracia???

A tripartição dos poderes é, pelo menos desde o Iluminismo francês, a base do modelo republicano e democrático. Trata-se de um instrumento formal contra a tirania: o poder político é repartido em três - executivo, legislativo, judiciário. No Brasil, de tradição patriarcal e coronelista, é sabido que o presidente, poder executivo, interfere nos demais. Mas isso até certo ponto. Há limites, que precisam ser negociados.
O legislativo brasileiro é alvo de descrença pública justamente porque cede demasiadamente nas negociações políticas. Qual o brasileiro que acredita na eficiência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal?
Já o judiciário, representado pelo Supremo Tribunal Federal, tem mais autonomia. Apesar dos ministros que o compõem serem indicados pelo presidente - e não eleitos por voto popular, o que permite ingerência - o fato dos cargos serem vitalícios garantem maior liberdade: não estão sujeitos a ameaças de demissão ou outras formas de coerção política.
Um fato ocorrido ontem - e que talvez passe batido para a maioria da população - representa, a meu ver, a mais flagrante expressão do desrespeito a essa tripartição de poderes que caracteriza as bases da república democrática. Entendam os leitores que não escrevo com ingenuidade: eu já disse que ingerências existem, lamentavelmente são corriqueiras. Mas não como a que ocorreu ontem.
Dois são os diferenciais. Primeiro, o fato de envolver o Judiciário, poder que se mantinha mais ou menos afastado da corrupta relação executivo-judiciário. O outro, o fato do contato ter sido direto e explícito entre os envolvidos. O candidato Serra telefonou diretamente para o ministro Gilmar Mendes, e este, obedientemente, interrompeu uma votação que poderia desfavorecer interesses da campanha do tucano. Não sabia o Serra que encontravam-se por perto jornalistas da Folha de S. Paulo, que ouviram a conversa.
A reportagem está disponível aqui.

Em tempo: o que estava em votação no Supremo? A necessidade ou não de apresentar dois documentos - RG e Título de eleitor - para votar nesta eleição. Tradicionalmente basta apresentar um documento com foto - o RG. A campanha de Serra busca garantir que sejam necessários os dois documentos, dificultando assim que a população menos esclarecida efetive seu voto, por não dispor do título eleitoral em mãos.
Em tempo 2: Quando a votação foi interrompida, 7 dos 10 ministros já haviam votado a favor da dispensa do título de eleitor. Tratou-se apenas de manobra para adiar a decisão, pois o resultado já está dado.
Em tempo 3: Se a votação não for concluída hoje, no domingo os eleitores serão obrigados a apresentar os dois documentos. Lamentável.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Convite - Seminário

Segue abaixo cartaz de divulgação da primeira edição deste ano dos Seminários livres "Racionalismo crítico e filosofia analítica", sob organização do prof. Luis Peluso, da UFABC. Clique no cartaz para ampliá-lo.



sábado, 11 de setembro de 2010

Campanha eleitoral e Ditadura

Nunca fui e não sou defensor do PT. Nem da Dilma. Não votarei em nenhum dos "4 grandes" (?) candidatos que estão concorrendo à eleição presidencial deste ano. Mais adiante publicarei neste blog uma declaração de votos - e, principalmente, de antivotos. Mas penso que não é possível colocar estes "figurões" da política todos como "farinha do mesmo saco". Tenho acompanhado com alguma alegria as pesquisas eleitorais, especialmente para o Senado, observando que vários velhos caciques não conseguirão se reeleger, depois de muitos [e muitos e muitos] anos como mandatários. No geral, estes são da aliança DEM-PSDB, sustentação maior do coronelismo brasileiro deste século XXI, sobretudo nas regiões Nordeste e Norte. Espero escrever sobre isso nas próximas semanas.
Mas há coisas que chateiam qualquer cidadão dotado de inteligência. Ao longo desta campanha eleitoral, recebi por diversas vezes uma suposta foto da ficha da Dilma no DOPS, a polícia da ditadura militar brasileira. E o e-mail sempre sugeria que este era um ponto conta a candidata. Com todos os defeitos que ela possa ter, ser considerada "criminosa" pela ditadura, é mérito, não demérito. Foi o que fizeram os bons militantes da época, alguns dos quais tenho a honra de conhecer.
No vídeo abaixo, gravado há cerca de 2 anos, a então ministra Dilma foi ao Senado tratar de um dos muitos escândalos do governo. Num ato de estupidez que garante a coerência com sua história política, o senador Agripino Maia - da aliança DEM-PSDB - acusa-a de ter mentido à polícia da ditadura. A resposta da Dilma, com toda a desarticulação do seu discurso, é algo que vale a pena ouvir. Em especial o final, quando ela supõe que ela, combatente da ditadura, e o referido senador, apoiador dos militares, ocupavam postos diferentes frente ao regime de exceção...


quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mini-curso: Ensino de Filosofia

Segue abaixo cartaz de divulgação do mini-curso que será ministrado pelo Prof. Dr. Rodrigo Pelloso Gelamo na UFABC. A taxa de inscrição é de R$30,00, com isenção para a comunidade da UFABC.
Clique aqui para acessar o currículo do prof. Rodrigo Gelamo.
Clique no cartaz para ampliá-lo.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Convite - Curso Livre

Seguem informações sobre o próximo módulo do Curso Livre de Humanidades:

Módulo: Leituras marxistas de temas contemporâneos

O marxismo é um instrumento teórico decisivo e insubstituível para a análise e transformação da realidade social. Dispondo de recursos analíticos e críticos, o aparato conceitual marxista em suas várias vertentes possibilita a compreensão dos principais processos sociais a que estamos submetidos. Nesse módulo apresentaremos, a partir de teses e conceitos produzidos nas diferentes vertentes e tradições do marxismo, uma leitura de diversos temas que facilitam a compreensão da sociedade contemporânea.


15/9: Suze Piza - Relações entre educação e capitalismo numa perspectiva marxista.
22/9: Daniel Pansarelli - Atualidades dos Aparelhos Ideológicos de Estado.
29/9: Luci Praun e Suze Piza – Exibição do filme The Wall
06/10: Luci Praun - Cultura e indústria cultural na contemporaneidade
20/10: Oswaldo de Oliveira Santos - Atualidade da filosofia da práxis em diálogo com a teologia na América Latina
27/10: Claudete Pagotto - Esboço de uma crítica da economia solidária a partir de Karl Marx.

Horário: 18h00 às 19h20
Local: Universidade Metodista de S. Paulo, Campus Rudge Ramos
Inscrições gratuitas: cursohumanidades@metodista.br

Organização: Profa. Suze Piza
Promoção: Curso de Filosofia da UMESP (www.metodista.br/filosofia)

domingo, 22 de agosto de 2010

Dussel no Brasil 2010 - Registros


Aos leitores do blog, uma postagem especial. Trata-se do registro da passagem de Enrique Dussel pelo Brasil neste ano. O filósofo da libertação esteve aqui entre 16 e 20 de agosto, em atividades na UMESP e na USP. Abaixo estão disponibilizados links para o site dos eventos e também para os arquivos de áudio, que registram todas as conferências ministradas por Dussel. Não são gravações profissionais, mas estão audíveis. Não sofreram nenhum tipo de edição e estão aqui publicadas após autorização concedida por Dussel, no último dia de suas atividades.

1. Sobre os eventos:
Dussel participou de quatro eventos correlacionados, promovidos pelo Núcleo de Educação em Direitos Humanos - NEDH - da Universidade Metodista de São Paulo (site aqui), a saber:
a) I Seminário Internacional de Educação em Direitos Humanos (site aqui), em que ministrou a conferência de abertura.
b) Ciclo de Conferências "Hugo Assmann" (site aqui), em que ministrou três conferências sobre filosofia da libertação e teologia da libertação, com especial ênfase a questões histórias e políticas.
c) Disciplina "Educação e Religião na América Latina: Temas contemporâneos" (site aqui), em que ministrou duas aulas. Outras duas aulas, não registradas nos arquivos de áudio abaixo, foram ministradas pela profa. Vera Candau e Salomón Lerner.
d) Colóquio e Conferência realizados na Faculdade de Educação da USP (site aqui).

2. Registros em áudio
a) Conferência de abertura da I Semana de Educação em Direitos Humanos - clique aqui.
b)Ciclo de Conferências "Hugo Assmann"
- Conferência 1 - clique aqui
- Conferência 2 - clique aqui
- Conferência 3 - clique aqui

c) Disciplina na Pós-Graduação
- Aula 1 - clique aqui
- Aula 2 - clique aqui
d) Programação na FEUSP
- Colóquio - clique aqui
- Conferência - clique aqui

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Tese de doutorado

Tenho recebido com alguma frequência e-mails de colegas pedindo que eu envie minha tese, Filosofia e práxis na América Latina. É sempre bom saber que nossas produções estão contribuindo com a pesquisa filosófica, especialmente quando se trata de um assunto que conta, ainda, com bibliografia um tanto restrita.
Para quem tiver curiosidade de conhecer o trabalho, ele está disponível, na íntegra, neste link (clique) [funciona melhor com o Firefox ou IExplorer].

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Dussel no Brasil

Aos interessados na filosofia latino-americana, uma grande oportunidade: entre os dias 16 e 20 de agosto o filósofo Enrique Dussel terá uma intensa programação no Brasil, com quatro dias de atividades na UMESP e um na USP. As informações deste evento estão disponíveis no site do Núcleo de Educação em Direitos Humano, da UMESP (clique aqui). Para conhecer mais sobre este filósofo, acesse sua página pessoal, aqui.

Outro assunto. Na edição no. 20 da revista Filosofia - Conhecimento Prático foi publicado um texto meu e da profa. Suze Piza sobre o Sentido ético do eterno retorno em Nietzsche. O texto integral pode ser acessado aqui.

domingo, 8 de agosto de 2010

Voltando à vida

O tempo, como tema de estudos, intrigou filósofos dos diversos tempos. Talvez um dos motivos deste seu poder de incomodar os pensadores esteja na nossa incapacidade de controlá-lo: muitas vezes, simplesmente, "não vemos o tempo passar".
Mais ou menos isso que se passou desde a última postagem neste blog. Muitos compromissos, muitas mudanças e "não deu tempo" de registrar aqui novas reflexões. Contarei aos poucos sobre o que se passou desde então. Para começar, uma notícia e um convite.
Foi publicado há algumas semanas o livro Cidadania: que coisa é essa?, organizado pela profa. Suze Piza e pela profa. Elena Alves. Conta com textos de diversos autores, alguns dos quais são grandes amigos meus. Eu também escrevi um dos capítulos, sobre Política e subjetividade. Ele está a venda clicando aqui.
Na Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, haverá uma sessão de lançamento deste e de outros livros da Editora UMESP. Clique no convite abaixo para ampliá-lo.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Autêntica (III)

Mais uma obra autêntica que quero apresentar: As aventuras de uma bola, da Regina Roppa Evilasio. Um livro que ousa entrar no (sempre autêntico) universo infantil.
A contra-capa do livro nos conta: "Nesta aventura, a bola toma vida e convivendo com o menino se sente amada ou desprezada, alegre ou triste, procurando ser motivo de felicidade para ele. Com o passar do tempo, percebe que mudanças significativas ocorreram em sua vida: passa a conhecer o mundo, o medo do desconhecido, o viver e o envelhecer. Até que um dia tudo acaba... Ou recomeça?".
A autora tem ampla formação, incluindo as áreas de Pedagogia e de Filosofia (em curso), além de ter experiência como dirigente escolar, coordenadora e alfabetizadora. A obra conta ainda com ilustrações de Anay de Oliveira Cunha Thomaz.
O livro foi publicado em 2009 pela Editora Scortecci. Mais informações estão disponíveis no site da editora (clique aqui); e encontra-se a venda na Livraria Asabeça (clique aqui).

sábado, 8 de maio de 2010

Autêntico (II)

Gostaria de apresentar um autêntico Nastasi: trata-se da obra O ninho de farpas, publicado em 2009 pelo Clube de Autores. O texto descontínuo, por vezes incômodo, mas envolvente, nos faz sentir no ambiente anunciado pelo título. Li "de uma tacada só".
A obra de Sérgio Nastasi pode ser adquirida pelo site do Clube de Autores (clique). Reproduzo abaixo a capa e a resenha de divulgação disponíveis no site oficial da obra.

"O rosto do meu pai enrubesce mais a cada detalhe que conto sobre o caso Mibinha; minha mãe olha-me com o olho mais esdrúxulo que nunca vi, e minha irmã engole quieta sua janta. Peço o novo telefone do tio Rogério, porque, como advogado, ele deve assistir nossa família. Entro na sala e o ar esmagador, a negrura e a poeira nauseante desses móveis deixam-me o vômito à garganta. Tenho de ir agora, pegar o papel e sumir na calada. Capturo o bloco de notas e fujo silente". Assim é O Ninho de Farpas, romance narrado em 1ª pessoa pela personagem Tânia que, após a morte de sua melhor amiga, supostamente um pacto de suicídio, relembra fatos de sua adolescência marcadamente irritante desenredados num texto anticlímax propositalmente ligado à metáfora do ninho de farpas.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Filosofia e Universidade: convite

Segue abaixo o cartaz de divulgação da XIV Semana de Filosofia da UMESP. A programação, como de costume, está permeada de grandes intelectuais, que são referência em suas áreas. Neste ano, a proposta é discutir perspectivas da relação entre Filosofia e Universidade, considerando as características que a sociedade - especialmente brasileira - atual impõem às universidades - mercantilização, aceleração da formação, etc.
Informações completas disponíveis em www.metodista.br/filosofia.

**PROGRAMAÇÃO**

*PROF. DR. MARCOS ANTÔNIO LORIERI*
Filosofia e formação no ensino superior
10 DE MAIO - das 19h30 às 23h

*PROF. DR. ANTONIO JOAQUIM SEVERINO*
A filosofia na Universidade: tornando humana a formação profissional
11 DE MAIO - das 19h30 às 23h

*PROF. DR. SAMUEL MENDONÇA*
Perspectivismo, conhecimento e o homem
12 DE MAIO - das 19h30 às 23h

*PROF. MS. LUÍS FERNANDO WEFFORT*
O Espírito e a Letra: uma breve reflexão sobre nossa formação universitária
13 DE MAIO - das 19h30 às 23h

*PROF. DR. ELYDIO DOS SANTOS NETO*
A Antropologia Filosófica e os problemas da contemporaneidade: desafios para
a universidade
14 DE MAIO - das 19h30 às 23h

*As inscrições para a comunidade externa deverão ser realizadas por meio do site do Curso de Filosofia: www.metodista.br/filosofia .
*Evento Gratuito

Local: Auditório Iota, Campus Rudge Ramos da UMESP (Rua Alfeu Tavares, 149, S. Bernardo do Campo - clique aqui para ver).

Informações:*
filosofia@metodista.br
(11)4366-5891* *




(Clique no cartaz para ampliá-lo)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Autêntico (I)

De tempos em tempos, ouvimos falar dos autênticos Di Cavalcantis ou dos autênticos Tarsilas furtados dos museus de arte por aqui. Também dos autênticos Picassos ou Da Vincis furtados dos não mais impenetráveis museus europeus.
Há alguns meses, eu e minha esposa fomos presentados com duas obras de arte bastante especiais. Reproduzo abaixo os dois autênticos Alzanis de nossa coleção (clique nas imagens para ampliá-las):



segunda-feira, 26 de abril de 2010

Autenticidade

Nos últimos meses, por motivos diversos, me deparei com frequência com a questão da delimitação da filosofia. A mesma pergunta "O que é a Filosofia?", respondida por Heidegger, por Deleuze & Guatarri e tantos outros, e que A. J. Severino afirma, em su'A filosofia contemporânea no Brasil que não é uma questão levada a sério por aqueles e aquelas que praticam filosofia por aqui.
Estou convencido sobre o que NÃO é Filosofia: tenho claro que Filosofia não é "análise do discurso"; de modo que não é atividade filosófica o debruçar-se sobre textos de tempos passados, sem dar-lhes sentido no presente. Isso pode ser estudo de linguagem, pode gerar deleite (para quem se deleita com letras...), pode até dar ao estudioso ares de profunda cultura e eloquência; mas não é Filosofia.
Estou também certo que filosofar não é falar difícil. Sócrates falava fácil. Descartes escrevia fácil. Voltaire escrevia fácil. E faziam Filosofia.
Ainda que nenhuma definição seja última, provisoriamente tenho assumido duas características como fundamentais ao filosofar:
A primeira, antiga, implica em reunir três elementos imprescindíveis para que uma ação seja filosófica, a saber: admiração, razão e poética. Trata-se de incomodar-se com algo - mesmo que cotidiano -, refletir problematicamente sobre e, finalmente, criar, propor caminhos para lidar com tal objeto. A proposição dos caminhos - poética - é imprescindível; por isso apenas o desvelamento dos textos clássicos não pode ser filosofia. Naturalmente, propor caminhos não implica como necessário apontar o seu destino final.
A outra característica, empresto de Leopoldo Zea. Implica em tomar a filosofia como algo sempre original, em sentido muito próprio deste autor: a filosofia propõe respostas universalizáveis (e por isso é filosofia) a problemas necessariamente originados em uma realidade local (por isso, será sempre original). Não se pode filosofar sobre os problemas dos grandes filósofos, ainda que se possa apropriar dos caminhos por eles propostos para lidar com os problemas originais com os quais nos deparamos.
Ainda inspirado em Zea, entendo que a reunião destas duas características oferecem a possibilidade de uma filosofia Autêntica - única, portanto, merecedora do título Filosofia.
Mas toda esta reflexão é apenas o prefácio. Queria chegar à questão da autenticidade, importantíssima. Apresentarei nas próximas postagens alguns "autênticos" trabalhos artísticos com os quais me deparei nos últimos meses. São obras de arte que têm, cada qual a seu modo, originalidade, autenticidade, admiração, razão e poética. Tenho apreciado e espero que os amigos e visitantes do blog também apreciem.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Paulada no Supremo

Às vésperas de terminar seu mandato como presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Gilmar Mendes concedeu uma entrevista ao Google/Youtube, em que esperava fazer um balanço do seu mandato. Levou uma paulada atrás da outra. Nomeado ministro (vitalício...) pelo então presidente FHC, Mendes dá continuidade no poder judiciário a uma política que se tenta combater no executivo e no legislativo: o coronelismo remanescente das ditaduras e autoritarismos que governaram o Brasil ao longo da maior parte do século XX. Como as perguntas foram propostas e votadas por internautas, num processo auditado pelo Google, o STF não pode censurar questões. Como resultado, o ministro foi constrangido por mais de meia hora, convidado a explicar o inexplicável. Constrangido, aliás, de forma apenas muito raramente vista na história recente do país. O vídeo com a íntegra da entrevista segue abaixo:

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Cama de gato

Dizem que "quem avisa, amigo é". Pois bem...
Nouriel Roubini, economista que se tornou célebre ao lucrar fortunas com a crise econômica de 2008/2009, referência da economia internacional desde então, publicou em seu site um texto do economista brasileiro Ricardo Amaral, com o título: "A fórmula brasileira para o sucesso - Ditadura", em que o autor defende o retorno do regime militar no nosso país.
O UOL publicou aqui uma reportagem com mais detalhes sobre o assunto.
Embora a reportagem do UOL, acima indicada, ofereça um print da página do site de Roubini com o texto em questão, este não se encontra mais disponível (pelo menos por ora) onde fora publicado. O site do Roubini pode ser acessado clicando aqui.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Coisas da globalização neoliberal

Hoje o almoço precisou ser rápido, fast, em tempos de mundo globalizado. E também precisava ser em casa, para não interromper o trabalho.
Pedi uma comida chinesa. Ao menos eu achava que era até começar a pensar sobre. em verdade, o prato carrega em si algo de chinês. Mas consta no cardápio de uma rede de fast food que disponibiliza seus produtos delivery e in box. O que me leva a pensar que não é "China" (xina), mas "China" (xáina, em inglês mesmo).
A surpresa foi o tradicional, milenar, biscoito da sorte - aquele que vem com uma mensagem escondida, dentro, a qual fornece a sorte do dia. Já não era novidade que esta mensagem vinha em formato de impresso de computador. Mas a que recebi hoje, diz:
"CBDT2T1N2X". E no anverso: "Qual a maior rede de culinária chinesa do Brasil? Envie o código no verso com 1 para China In Box ou 2 para outros, via SMS para 49221 e concorra".
Além de duvidar da chinalidade da comida, começo a pensar que hoje estou sem sorte...

Palestra - Filosofia Antiga

Como parte do projeto Tardes Filosóficas, promovido pelo Curso de Filosofia da Metodista e pela Casa da Palavra, de Santo André, ocorrerá neste sábado, 17, a partir das 14h, a palestra "A polis grega e a filosofia antiga", ministrada pelo prof. dr. Marcos Sidnei Euzebio. A entrada é gratuita. A Casa da Palavra fica na Praça do Carmo, 171, no Centro de Santo André.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Como arrecadar dinheiro

uma reportagem da Folha On Line, recheada de vídeos, mostra as técnicas ensinadas pelos bispos da Igreja Universal para arrecadar dinheiro dos fiéis, durante a crise econômica recente.
Seria chocante, não fosse a notoriedade da corrupção ideológica uma marca desta seita.
A reportagem e todos os vídeos são acessíveis a partir deste link (clique aqui)

terça-feira, 13 de abril de 2010

Estética para crianças

Há algum tempo a filosofia para crianças (entre vários amigos interessados no tema, preferimos chamar de filosofia com crianças) tem seu espaço garantido nas discussões sobre o ensino da matéria. Primeiro, com Lipman, depois com vários seguidores e críticos.
Na última década, tem sido grande proliferação de materiais inteligentes para o ensino filosófico da garotada. Acabo de conhecer mais um, especialmente destinado à arte e à estética. Um pequeno trecho segue no vídeo abaixo:


Publicação: LOG ON Editora e Multimídia

terça-feira, 6 de abril de 2010

Precisão militar estadunidense

O termo "precisão cirúrgica" foi amplamente empregado pelo alto comando militar estadunidense no início das guerras impostas ao Afeganistão e, depois, ao Iraque. Afirmavam, à época, que eram capazes de atingir alvos tão específicos e com tamanha precisão que os civis não correriam riscos.
Tal precisão cirúrgica não se confirmou - isso já era público. Comprova-se, agora, o descaso dos "cirurgiões".
O vídeo abaixo mostra o assassinato de jornalistas civis por tropas estadunidenses. Assassinato. Que não será punido. Há quem esteja acima da lei...
(e há quem tolere isso!).

domingo, 4 de abril de 2010

Honestidade

A charge abaixo foi publicada no site do Millôr. Reflexão oportuna em período de feriado religioso, ocasião em que todos - especialmente os ateus - parecem encontrar motivos para repassar questões éticas.



Ainda a propósito da páscoa - e, principalmente, da honestidade -, este link (clique) conduz para um excelente texto da profa. Roseli Fischmann, da pós-graduação em educação da USP e da UMESP, publicado há alguns dias na Folha de São Paulo.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Curso: Nietzsche, Freud, Sartre

O projeto Curso Livre de Humanidades, sob coordenação da profa. Suze Piza, oferecerá no dia 10/4, sábado, o curso Leituras do contemporâneo: Nietzsche, Freud, Sartre. As inscrições precisam ser feitas antecipadamente. Informações sobre o processo de inscrições e formas de pagamento estão disponíveis no blog do projeto - clique aqui para acessar.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Blog dos comunistas

Foi lançado recentemente - e está em fase de testes - o blog do PCB, Partido Comunista Brasileiro, em São Bernardo do Campo. Convido a conhecê-lo pelo link www.pcbsbc.wordpress.com. Eventualmente farei contribuições lá também.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Filosofia e história - palestra

Convido os amigos e interessados para uma palestra que ministrarei amanhã, dia 20, na Casa da Palavra, em Santo André. O tema envolverá Filosofia e História - com uma passagem, por que não, pelo "fim da história".
O horário previsto é das 14h às 17h. O endereço é Pça. do Carmo, 171, no Centro de Santo André.
A palestra é parte das "Tardes Filosóficas" evento resultante da parceria entre a Casa da Palavra e o Curso de Filosofia da UMESP (clique para saber mais).

terça-feira, 9 de março de 2010

Professores em greve

Os professores da rede estadual de ensino entraram ontem em greve.
O governo - do já desesperado candidato-Serra à presidência - diz que a motivação é política.
Claro que tudo, na sociedade, é político. Um candidato à presidência bem o sabe. Mas a greve, além de política, parece ter certo respaldo matemático.
O governo se comprometeu a incorporar aos salários uma série de benefícios pagos "por fora" aos professores. Então fez os cálculos e ofereceu reajustes que variam de 0,27% a 0,59%. Pelos cálculos do sindicato, o correto seria 34,3%. Todos os que são ou já foram professores da rede pública sabem qual destes índices mais se aproxima da realidade...

Sobre a greve: clique aqui e aqui

Em tempo: Também é política a aceleração das obras nas últimas semanas para inaugurar o trecho sul do Rodoanel antes do final do mês, prazo que o governador terá para renunciar ao cargo se quiser mesmo concorrer à presidência. Espero que essa aceleração política não cause uma tragédia futura, por obras mal feitas em função de prazos eleitorais...

segunda-feira, 8 de março de 2010

Em homenagem

Uma palavra, ainda que breve, em homenagem às mulheres, neste dia 8 de março.
Em respeito a sua luta contra a sociedade machista.
Luta que é imprescindível.
Em solidariedade às vidas de muitos sacrifícios,
tantas vezes necessários
para se viver em um mundo em que o padrão
equivocado
é ser homem.

Velho camarada

Segue o link para o blog do Cesar Mangolin, que é meu colega como professor na Metodista mas, antes, um bom e velho camarada. O blog, a exemplo de outras coisas que o Cesar faz, tem consistência teórica, leitura crítica das coisas, tudo banhado a um bom marxismo.

O endereço é www.cesarmangolin.wordpress.com. Recomendo em doses regulares.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Lançamento do livro na Casa da Palavra

Segue o convite para o lançamento do livro Curso (in)completo de filosofia na Casa da Palavra, em Santo André:

Quando: sábado, 6 de março, das 14h às 17h
Onde: Casa da Palavra - Praça do Carmo, 171, Centro, Santo André-SP (mapa)
O que: Lançamento do livro com a presença dos autores, que promoverão uma palestra e debate com o público.
Quanto: o evento é gratuito. Os interessados poderão adquirir o livro pelo preço especial de lançamento: R$15,00.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Lançamento de livro - convite

Será lançado nesta semana o livro Curso (in)completo de filosofia, que organizei e que reúne textos escritos por alguns amigos: João Regis Lima, Marcos Euzebio, Suze Piza, Wesley Dourado e eu (clique sobre os nomes para ver os currículos). Cada capítulo do livro aborda um aspecto importante da formação em filosofia, de modo que a obra reúne alguns dos mais relevantes temas que devem, imprescindivelmente, ser estudados por estudantes de Filosofia e por interessados no assunto. Outras informações sobre o livro estarão em breve disponíveis no site da Editora Metodista (clique aqui)
A primeira sessão de lançamento ocorrerá na quarta-feira, dia 24/2, a partir das 19h30, no Auditório Iota da Universidade Metodista (clique aqui para saber como chegar). O cartaz abaixo traz outras informações.